Anagé foi fundada pelo Bandeirante Cel. João Gonçalves da Costa, no ano de 1784, quando abria a estrada ligando o Arraial da Conquista a Caetité e ao Rio São Francisco, aonde tinha Fazendas e criava muito gado. No começo, era ponto de pousadas de tropeiros e de viajantes. Está situada à margem direita do histórico Rio Gavião afluente do Rio de Contas.

Conforme o “Pequeno Dicionário dos Municípios Baianos”, do historiador Pedro Tomás Pedreira: “Município sito na M.R.H.(Micro Região Homogênea) 145 – Planalto de Conquista. Área de 1.233 Kms2. Criado, com território desmembrado do Município de Vitória da Conquista, pela Lei Estadual n.º 1.656, de 05 de abril de 1962 e instalado em 07 de abril de 1963. Distritos: Anagé (sede) e Coquinhos. Limites: com os municípios de Belo Campo, Planalto, Caraíbas, Poções e Vitória da Conquista. População, em 2000 conforme o censo 40.700 habitantes”. Cidade, sede do Município de igual nome.Distrito criado no Município de Vitória da Conquista, com o nome de São João da Vila Nova, pela Lei Estadual n.º 249, de 25 de julho de 1898, para Joanópolis pelo Decreto Estadual n.º 11.089, de 30 novembro de 1938 e para Anagé pelo Decreto-Lei Estadual n.º 141, de 31 de dezembro de 1943, retificado pelo Decreto Estadual n.º 12.978, de 1.º de junho de 1944, tem como Padroeiro São João Batista. Coordenadas, 14.º 36´ Lat. Sul e 41.º 08 Long. W.Gr, distante da Capital: via Ba-262, BR-116 e BR-234, no total de 56l Km. CEP-45.180-000. Distância de Anagé a Vitória da Conquista: 54 quilômetros percorridos em estrada asfaltada, construída no Governo Roberto Santos. Durante 66 anos de Distrito pertencente ao Município de Vitória da Conquista, Anagé era de grande influência política e através do seu eleitorado decidiu muitas vezes a política conquistense do passado.

Foram personagens de destaque social e político do passado, em Anagé, Manoel Raimundo, Marcos Sousa, Antônio Saraiva, Bento Gonçalves, Procópio Pereira, Jaime Doutor, Fileis Botelho, Antônio Pitanga Nogueira, Dely Francisco do Nascimento, Rosel Dias Soares, Mané Roseno, Vicente Querino, Leonel Fonseca, Ulisses José de Oliveira, Antônio de Altino, Narciso da Silva Santos, Agérico Rodrigues de Sousa, João Dias Soares, Parteira Gabriela, Parteira Marcimina, Adozina Marciel, Senhorinha Barbosa, Ana de Silvino, Lió de Eugênio, Joaquim Manicha, Frei Isidoro, Frei Adriano, Professora Maria Viana, Professor Rogaciano Piau, Professora Diva Vieira Gomes, Professora Zuldete Vieira Gomes, Agnelo Cardoso, Abmaél do Prado Nogueira, Manoel Vieira dos Santos(Ex-Combatente) e muitos outros.

BARRAGEM DE ANAGÉ

A Barragem de Anagé, construída no maior rio seco do Estado da Bahia, formou um lago de 37 quilômetros quadrados e acumula um volume de água de 367 milhões de metros cúbicos, possibilitando assim, a irrigação de mais de 10 mil hectares, abastecimento de água de Anagé e a implantação de grande projeto de piscicultura, com produção de 700 toneladas de pescado por ano, beneficiando mais de 20 mil pessoas.

O DNOCOS, que construiu a Barragem, garantiu ainda para as famílias atingidas pela construção, lotes de 5 hectares, irrigado, com casa de alvenaria, área comum para criação e cultura de sequeiro além de toda infra-estrutura básica, como estradas, armazenamento, eletrificação, saneamento, posto médico, escolas prédios comunitários, além de assistência técnica e extensão rural a todos os agricultores, e apoio a comercialização da produção, obtenção de financiamento em entidades de crédito oficiais etc.

Todavia, por falta de representação política na Câmara Alta, falência do próprio DNOCOS, e a reconhecida má vontade do Governo Federal para com o Nordeste,e a inércia política nas demais esferas governamentais, as finalidades para as quais foi construída a Barragem de Anagé, nunca foram cumpridas. E o que vemos é o total abandono do projeto inicial, e a transformação da Barragem em área de lazer nas cidade de Anagé e Caraíbas, com mortes por afogamento de inúmeras pessoas, e a nós outros, a esperança de um dia ver sendo executado o verdadeiro projeto, que motivou a construção desta gigantesca Barragem.

Pesquisa feita por:
Blândson Viana Soares
Av. Tiradentes, 25l Centro Anagé-Bahia CEP: 45.180-000